Foto: Adriana Marchiori, 2017

CRIAÇÃO KAMIKAZE

2020 - Criado em isolamento social

Direção: Renata De Lélis

Performers-criadores: Laura Hickmann, Felipe Odálélê, André de Varela, Camila Vergara, Rodolfo Ruscheinsky, Cris Eifler, Eduardo Richa, Geórgia Damaceno.

Trilha original: Caio Amon
Produção: Laura Hickmann, Renata De Lélis, Camila Vergara

Projeto Gráfico: André Varela

Instagram: @criacaokamikaze

CRIAÇÃO KAMIKAZE parte do estudo sobre as “Maratonas de Dança” no período da Grande Depressão econômica da década de 30, onde jovens desempregados se submetiam a meses de dança em troca de comida e moradia, e dos “Reality Shows” e sua origem sádica e autorreferente na sociedade. É um processo de criação em regime de isolamento. Em maio de 2020 foi realizada uma performance na plataforma Zoom onde os performances passaram 24 horas dançando, que reuniu 17 atrações entre músicos e DJs.

MATA TEU PAI

2018 - Texto de Grace Passô

Texto: Grace Passô

Atuação: Laura Hickmann

Direção: Louise Pierosan

Trilha original: Vitório O Azevedo

Iluminação: Bruna Casali

Estreia: 2018 na Sala Alziro Azevedo

Trabalho realizado como requisito para conclusão do Curso de Bacharelado em Interpretação Teatral pela UFRGS

Ela assassinou o irmão e traiu a pátria por amor. Foi abandonada e matou os próprios filhos por vingança. Medéia é uma mulher mitológica estigmatizada como louca e assassina, mas é hora de mudar o ângulo dessa história.

Em Mata Teu Pai, Medéia pode ser uma mulher como tantas que hoje cruzam o seu caminho. Mulher que cria os filhos sozinha. Mulher que se sacrifica pelo marido. Mulher que é violentada. Ela é uma imigrante que não tem lar. Ela é do tamanho do amor e agora se reconhece dona de si e de seus desejos e decide matar. Matar tudo o que não vem de dentro, matar tudo que nos enfiam útero acima. A ingenuidade. A passividade. O destino que nos ensinam inevitável. Para mim e para você, mulher que nos assiste, é preciso matar.

TEASER

ABERTURA

CHAPEUZINHO VERMELHO

Texto: Joel Pommerat
Texto de Jöel Pommerat
Fotos: Adriana Marchiori

Texto: Joël Pommerat

Direção: Camila Bauer

Elenco: Laura Hickmann, Henrique Gonçalves, Guilherme Ferrêra e Fabiane Severo

Estreia: 2017

Pela primeira vez no Brasil é encenado o texto Chapeuzinho Vermelho de Joël Pommerat. A obra do autor francês já realizou mais de 800 apresentações na Europa, sendo um dos nomes mais relevantes da dramaturgia contemporânea mundial. A encenação brasileira propõe estética de teatro adulto ao mesmo tempo em que a fábula é pensada também para crianças.

Enquanto o narrador conta a história, imagens e sons vão sendo produzidos diante do espectador por meio da dança, da transformação cenográfica, da música e do uso de microfones que permeiam o espetáculo.

 

FESTIVAIS

Festival Internacional de Londrina - FILO 2017 - Londrina/PR (2017)

Festival Brasileiro de Teatro Toni Cunha - Itajaí/SC (2017)

BQ(en)cena - Brusque/SC (2018)

Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto - FIT SP 2018 (SP)

Festival Caxias em Cena - Caxias do Sul/RS (2018)

Festival Internacional de Teatro, Palco & Rua de Belo Horizonte - FIT BH (2018)

Festival Isnard Azevedo - Florianópolis/SC (2018)

Festival Porto Alegre em Cena (RS) (2018)

Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente/SP - Fentepp (2018)

Festival Nacional de Teatro de Chapecó (2019)

Festival Palco Giratório - SESC/POA (2019)

FESTCAL - São Paulo/SP (2019)

FESTIVALE - São José dos Campos/SP (2019)

Porto Verão Alegre/RS (2020)

PROFEST - Teatro 2020 (MG) #EmCasa

MOSTRAS

IV Mostra Glênio Peres - Porto Alegre/RS (2018)

Mostra Pirlimpimpim de Teatro - Porto Alegre/RS (2018)

Mostra Espetacular - Curitiba/PR (2018)

Semana SESC de Leitura e Literatura - Cuiabá e Rondonópolis/MT (2018)

Mostra de Teatro SESC Passo Fundo - Passo Fundo/RS (2018)

CIDADES

Porto Alegre (RS), Canoas (RS), Gravataí (RS), Passo Fundo (RS), Florianópolis (SC), Itajaí (SC), Brusque (SC), Londrina (PR), Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT), São José do Rio Preto (SP), Caxias do Sul (RS), Presidente Prudente (SP), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Manaus (AM), Chapecó (SC), São Paulo (SP), São José dos Campos (SP), Recife (PE)

 

Indicada a Melhor Atriz
- Troféu Açorianos de Teatro 2017 
- Troféu Tibicuera de Teatro 2017
- 10º Prêmio Olhares da Cena 2020
- PROFEST - Teatro (MG) 2020 

ÚLTIMOS DIAS DE SUPER-HEROI

Texto: Leonardo Machado

Texto: Leonardo Machado

Direção: Lisandro Belotto

Elenco: Laura Hickmann, Maurício Schneider, Henrique Gonçalves e Julia Kieling

Estreia: 2018

Últimos Dias de Super-Herói é uma realização da Fundação Thiago Gonzaga, viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com o patrocínio de Banco Renner, Fundação John Deere, Panvel Farmácias e BRDE. Figurinos: Lojas YOUCOM. Em 2018 realizou 24 apresentações no estado do Rio Grande do Sul.

Sinopse: Guiga retrata seus incríveis últimos dias antes de se envolver em um acidente de trânsito.

MISSA DO ORFANATO

Música: Wolfgang Amadeus Mozart

Missa Encenada

Música: Wolfgang Amadeus Mozart

Direção Cênica: Camila Bauer
Ano: 2016

Função: Atriz e bailarina

A montagem de “Tempos de Solidão – Missa do Orfanato” desafia cânones da musicologia. Como é próprio de um gênero (a Missa) que não foi pensado originalmente para a encenação, não há personagens ou fábulas definidas no texto da obra de Mozart, mas cantos religiosos que deixam espaço para a livre criação cênica e dramatúrgica. Mais do que uma reflexão sobre a solidão, a montagem é uma prece artística que anseia pelo fim do isolamento solipsista dos indivíduos do século XXI e pela restauração da comunicação verdadeira entre as pessoas.

 

A BELA E FIEL ARIADNE

Ópera alemã

Música: Johann Georg Conradi

Direção Cênica: Camila Bauer
Cidades: Porto Alegre e Curitiba
Ano: 2015

Função: atriz e bailarina

A Bela e Fiel Ariadne estreou no Teatro de Ópera de Hamburgo em 1691. Ópera em três atos, narra a triste história de Ariadne, filha de Minos, o rei da ilha de Creta. Por amor, Ariadne ajuda o herói ateniense Teseu a enfrentar o Minotauro, monstro devorador de homens que vive em um labirinto do qual ninguém saiu com vida. Com a espada e o fio de linha que recebeu de Ariadne, Teseu mata o Minotauro e encontra a saída do labirinto. Vitorioso, Teseu esquece de suas promessas de amor a Ariadne e a troca pela irmã, Fedra.

 

MARGEM OCULTA

Performance

Performers: Laura Hickmann e Rafael Bricoli

Direção: Camila Bauer

Artista visual: Élcio Rossini

Fotógrafa: Adriana Marchiori

Realização: Projeto Gompa

Margem Oculta é um trabalho de pesquisa que busca o hibridismo da ideia de instalação, corpo e foto-performance. Da ideia do corpo como elemento constituinte com a paisagem, de uma cenografia expandida do espaço e da fotografia que não só registra mas que gera um documento que vem a fazer parte da própria instalação. ​

 

O ponto de partida do trabalho entre esses artistas foram os encontros que procuraram investigar ação corporal e suas possíveis conexões com o espaço constituído por um conjunto de objetos e mecanismos precários com o qual os performers dialogam por meio de procedimentos diversos. Algumas vezes o procedimento utilizado é a tarefa, uma ação ou um conjunto de ações objetivas que o performer realiza ou ao contrário o corpo, literalmente, “se instala” para habitar o lugar. Outro procedimento empregado foi a investigação formal entre corpo, objeto e ação, neste caso não estavam presentes modalidades de ressignificação do objeto, ou ainda uma ação que entra em choque com o espaço. ​

Fez parte do Circuito de Performance da Galeria Península em 2016.

 

PTERODÁTILOS

Texto de Nicky Silver

Texto: Nicky Silver

Direção: Brenda Knevitz
Elenco: Laura Hickmann, Junior Sifuentes, Siane Leonhardt, Lorenzo Soares
Estreia: 2015

 

“Pterodátilos” apresenta uma família aparentemente normal, adepta de um modo de vida estável e rotineiro, que tem seu mundo virado de pernas para o ar com a entrada do namorado da filha no contexto familiar e o retorno do filho após um longo período de ausência. Através de um humor ácido, conhecemos os conflitos de cinco pessoas, cuja existência está firmemente atrelada a sistemas de negação.

 

OUTROS PROJETOS